GUIA DA TEMPORADA – Denzel Valentine

Escolha principal da equipe no Draft, ala-armador já mostrou personalidade e confiança antes mesmo do início da temporada.

Situação contratual (via Spotrac)*:

salary-cap-valentine

*2018 Club Option; 2019 Club Option

Médias por jogo na temporada 2015/16 (NCAA – 31 jogos): 19.2 pontos, 7.5 rebotes, 7.8 assistências e 1.0 roubo de bola.

Aproveitamentos na temporada 2015/16: FG% .462, 3P% .444 e FT% .853 (via Baskteball Reference)

Melhor jogador da NCAA na última temporada, defendendo Michigan State, o sênior Denzel Valentine (jogador muito inteligente, combo guard, líder e two-way player, comandado por ninguém menos que Tom Izzo – eleito para o Hall da Fama esse ano) fez workouts com várias equipes. O Bulls não estava entre elas. Mesmo assim, deu a declaração que “adoraria jogar pelos Bulls”. Na noite do Draft, na 14ª escolha, Chicago o selecionou. O menino não escondeu a felicidade de ser draftado pela equipe que almejava defender.

Mostrando personalidade, ele escolheu a #45, mesmo número usado na universidade. Com toda a “maldição” em torno desse número (nem Michael Jordan escapou), o garoto foi para a Summer League e, ao lado de Grant, Portis, Dinwiddie e Felício, se sagrou campeão do torneio. Seus números (11.6 pontos, 6.7 rebotes, 2.7 assistências e 1.6 roubos de bola) foram bons, mas o que mais chamou a atenção foi sua personalidade.

Nas partidas de semifinal e final, no clutch time, ele apareceu. Iniciou a corrida contra os Cavs para desgarrar no placar e classificar os Bulls para a final contra Minnesota. Na decisão, ele fez apenas 7 pontos, mas 5 deles foram os mais importantes de todo o jogo: a tripla (que forçou a prorrogação) e da vitória (no estouro do cronômetro no overtime). Mas nem tudo foi bem na caminhada de Valentine. O jogador amassou muito o aro durante todo o campeonato (31-88 nos chutes de quadra, 12-47 nos chutes de três) e outro ponto a ser levantado é a questão física. Denzel irá penar por não ser um jogador atlético, o que pode dificultar sua vida na liga seja atacando ou defendendo. No que diz respeito ao seus joelhos (fez uma artroscopia durante o período colegial), Valentine garantiu que não há problema algum no local.

Vindo do banco, será, ao lado de Portis e Grant, um dos líderes da segunda unidade, revezando com Grant na armação da equipe. Com Rondo, Wade e Butler (jogadores com personalidade forte), pode crescer ainda mais em seu primeiro ano na NBA e ser um dos talentos da equipe para o futuro.

E você, torcedor, o que espera de Denzel Valentine para a próxima temporada?

Anúncios

2 comentários em “GUIA DA TEMPORADA – Denzel Valentine

Adicione o seu

    1. Rodman, combo guard é o armador que é o “faz tudo” em quadra. Arma, pontua, ajuda com rebotes… Citando como exemplo no basquete atual: Rajon Rondo, Eric Bledsoe…
      Two-way player é o atleta que ataca e defende, com a mesma excelência, nos dois lados da quadra (ex: Jimmy Butler, Paul George e Kawhi Leonard).

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: