Resumo Semanal: 23/01 – 29/01

Essa foi, de longe, a semana mais conturbada do Bulls nessa temporada. Com reclamações públicas dos principais jogadores (Butler, Wade e Rondo) no que diz respeito a comprometimento dentro de quadra, o clima não poderia ficar mais chato no elenco.

Na Semana Anterior

  • Campanha dos Bulls antes das partidas: 22-23
  • Campanha na semana anterior: 1-2
  • Jimmy Butler era anunciado como titular do Leste no All-Star Game
  • Paul Zipser ganharia seu espaço na rotação de Fred Hoiberg

Jogo-a-Jogo

23/01 – Chicago Bulls 100 @ Orlando Magic 92

Na Flórida, Hoiberg fez mais uma mexida na equipe titular. Michael Carter-Williams, que estava de ‘mal’ com a cesta, daria lugar a Jerian Grant e sairia da rotação, deixando a armação para Grant e Rondo. A partida teve suas emoções no início, mas foi controlada no segundo tempo, graças a Butler e Wade. Menção a Cristiano Felício, que anotou seu segundo double-double em janeiro, terceiro da carreira (todos nessa temporada). Falando no Brazilian Beast, ele não foi selecionado para o jogo dos calouros no All-Star Weekend. ABRE O OLHO, NBA!

Destaques
Dwyane Wade: 21 pontos, 7 rebotes e 7 roubos de bola
Jimmy Butler: 20 pontos e 8 rebotes
Cristiano Felício: 12 pontos e 10 rebotes em 20 minutos
Doug McDermott: 12 pontos e 4-6 nos chutes de três

25/01/17 – Atlanta Hawks 119 @ Chicago Bulls 114

A partida encaminhava para uma vitória dos Bulls. Contra os Hawks, que estão intalados na garganta já a algum tempo, o time fez de tudo e mais um pouco para o tabu acabar. Principalmente Butler, que estava com sangue nos olhos. Quando Chicago abriu 110-100 faltando três minutos para o fim, ninguém esperava uma grande reação dos visitantes, que fizeram uma corrida de 19-4, selando o jogo e mantendo a série invicta de sete jogos contra os Bulls. Isso acenderia o sinal de alerta em Chicago, e uma crise seria instaurada.

Destaques
Jimmy Butler: 40 pontos
Dwyane Wade: 33 pontos

O Caldo Entornou

O que estava ruim, acabou ficando pior. Após o jogo, JB fez declarações duras sobre a equipe: “Se você não fica puto depois de perder qualquer jogo, algo está errado. O time não joga duro o suficiente e eu quero jogar com atletas que se importam. Com caras que queiram o bem da franquia, façam o que for preciso para ganhar”.

D-Wade também falou sobre o caso de falta de vontade dos mais jovens, isentando Butler: “Eu tenho 35 anos de idade, três títulos. Não deveria sentir mais as derrotas do que esses garotos. Eles têm que querer as vitórias, mas eu nem sei se ligam para isso. Posso olhar para Jimmy e dizer que ele está fazendo seu trabalho. Jimmy pode me olhar e dizer que eu estou fazendo meu trabalho. Mas, o resto, é de tirar do sério”.

No dia seguinte, Rajon Rondo publicou uma foto no seu Instagram questionando os líderes dos Bulls: “Meus veteranos não recorriam à mídia. Eles vinham direto para o time. Meus veteranos não escolhiam quando eles iriam jogar. Eles jogavam em todas as vezes que pisavam em quadra, sendo em um treino ou em uma partida. Eles não tiravam folga. Meus veteranos não se importavam com os números, eles jogavam pelo time. Quando perdíamos, eles não colocavam a culpa na gente. Eles assumiam a responsabilidade e iam treinar. Eles mostraram aos jovens o que significa trabalhar. Em Boston, quando tínhamos a melhor campanha da liga, se perdíamos um jogo, não escutávamos um ‘a’ no ônibus. Eles nos mostraram a seriedade do jogo. Meus veteranos não tinham influência na comissão técnica. Eles não mudavam o plano de jogo só porque não funcionava para o lado deles. Joguei para um dos melhores técnicos da história e ele deu conta de todos. É preciso de 15 caras para vencer. Se você isolar cada um no seu canto, não conseguirá ganhar. Eu posso ser um monte de coisas, mas não sou um mau companheiro de time. Meu objetivo é compartilhar o que aprendi. Os jovens trabalham. Eles dão a cara a tapa. A culpa não é deles. Se eu posso questionar alguma coisa, é a liderança”.

Com tudo isso, coube a todos darem suas explicações nos treinos de sexta-feira, antes da partida contra o Miami Heat. Após a reunião, que durou mais de uma hora (e que contou até com John Paxson), Hoiberg declarou que é “inaceitável se queixar através da mídia”. Rondo brincou, dizendo que “ninguém foi com luvas de boxe” para a reunião e que “todo mundo estava no mesmo barco e que era necessário falar sobre isso”.

Gar Forman, general manager dos Bulls, também disse estar “extramamente desapontado” com os jogadores ‘lavarem poupa suja’ via imprensa e redes sociais e que tudo deveria ter sido resolvido internamente.

Wade também falou a respeito, e colocou panos quentes na situação, dizendo que “não teria dito o que disse naquela noite” e que, como ele mesmo disse, que “as pessoas são respeitadas nos tempos bons e que nem todos não irão gostar de você nos momentos ruins”, mas que “vencer cura tudo”.

Butler também quis colocar um ponto final em toda essa situação: “Não tenho nenhum problema com Rajon [Rondo]. Ele falou o que estava na cabeça dele. Eu falei o que estava na minha. Vida que segue”.

27/01/17 – Miami Heat 100 @ Chicago Bulls 88

Como punição pelas declarações, Wade e Butler começaram a partida vindo do banco. Paul Zipser e Doug McDermott começaram entre os titulares. Mas mesmo assim, Chicago teve uma jornada ruim. O Heat, que vinha de cinco vitórias seguidas e que não tinha nada a ver com a história, venceu com um ótimo último quarto. Detalhe: sem seu principal jogador, Hassan Whiteside. JB teve uma noite para esquecer (1-13 nos chutes de quadra). Wade e Rondo fizeram a sua parte, mas algumas coisas ainda precisavam se acertar. E mesmo com essa crise toda, Chicago ainda estava entre os oito melhores no leste.

Destaques
Dwyane Wade: 15 pontos
Paul Zipser: 14 pontos
Taj Gibson: 14 pontos e 7 rebotes
Rajon Rondo: 13 pontos, 7 rebotes, 7 assistências e 3 roubos de bola

29/01/17 – Philadelphia 76ers 108 @ Chicago Bulls 121

Antes do jogo, Taj Gibson (que não jogou por conta de dores no tornozelo – Portis foi o titular) falou com a imprensa ainda sobre a reunião de dois dias atrás. Ele disse que os novatos queriam mais ‘empenho’ de Wade nos treinos: “Os garotos querem um pouco mais de esforço da parte de Dwyane. E ele fez isso hoje, incentivando os jovens e ‘forçando’ o nível do treino. Já é um sinal de que a reunião trouxe algum resultado. Tudo é feito com uma abordagem positiva, pois sabemos que os únicos que vão nos ajudar somos nós mesmos”. E isso teve um grande retorno na partida contra os Sixers. Chicago chegou a abrir 20 pontos no segundo quarto, mas Phila reagiu, e chegou a empatar no terceiro quarto. Mas o time (todos, de maneira coletiva), apertava o ritmo sempre que possível, e recuperava o controle do jogo e foi assim até o final. A vitória marca a 12ª seguida sobre os Sixers. Na última vez que Philadelphia venceu os Bulls, Carlos Boozer era o ala-pivô titular da equipe.

Destaques
Jimmy Butler: 28 pontos, 8 rebotes, 7 assistências e 4 roubos de bola
Robin Lopez: 21 pontos, 10 rebotes e 3 tocos
Dwyane Wade: 14 pontos, 6 rebotes, 6 assistências e 3 roubos de bola
Doug McDermott: 14 pontos
Paul Zipser e Nikola Mirotic: 13 pontos cada

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: